home > Notícias

Notícias

Envolvimento Político Partidário

17/3/2016 16:41:59

Diante do conturbado período em que vivemos e das crescentes provações que afligem a sociedade, temos em nossas mãos a oportunidade de alterar o rumo da humanidade e promover a tão almejada Paz Mundial. As bases da humanidade foram alteradas e vivemos hoje em uma condição de declínio, de injustiça social e opressão. Torna-se urgente uma mudança profunda nas estruturas sociais e o surgimento de uma civilização global compromissada com a promoção do bem estar social. Como bahá´ís, devemos ser incansáveis na construção de um mundo melhor e, em nossos esforços, devemos lembrar das palavras do amado Mestre: “Tudo o que é conducente à camaradagem, à atração e à união entre os filhos dos homens é o canal da vida do mundo humano, e o que quer que provoque divisão, aversão ou distanciamento leva à morte da humanidade.”


Devido ao contexto político no país e suas constantes reviravoltas, a Assembleia Espiritual Nacional dos Bahá´is do Brasil tem se preocupado de forma recorrente com o inadvertido envolvimento dos crentes com a política partidária. Ano após ano temos observado um crescente posicionamento político partidário por parte dos amigos, em especial ao se expressarem nas redes sociais.


O Mestre em uma de suas Epístolas, a qual foi dirigida a um grupo de buscadores e que também incluia a um brasileiro, fez alusão às palavras de Bahá´u´lláh e alerta a humanidade para o período em que vivemos,


Testemunhai quão tumultuado está o mundo, com facções antagônicas a se engalfinharem, e quantas terras estão rubras de sangue, o próprio pó mesclado de vermelho. Os fogos do conflito têm-se alastrado em tão gigantescas labaredas que jamais, quer em épocas primitivas, quer na Idade Média ou nos séculos recentes, houve tão hedionda conflagração, semelhante a uma mó que toma por grãos os crânios dos homens. Não, é ainda muito pior, visto que países florescentes têm sido reduzidos a entulho, cidades têm sido arrasadas, e um sem-número de aldeias outrora prósperas converteram-se em ruínas [...]


E o que dá origem a todas essas tragédias é o preconceito: preconceito de raça e nação, de religião, de posições políticas; e a causa fundamental do preconceito é a imitação cega do passado - imitação na religião e nas atitudes raciais, imitação no nacionalismo fanático e na política. Enquanto esse arremedo do passado persistir, as bases da ordem social permanecerão sem sustentação, à mercê dos quatro ventos, e o gênero humano, continuamente exposto aos mais temíveis perigos.


Nesta mesma Epístola, Ele ainda sinaliza o preconceito político como algo terrível que ataca a própria raiz da vida humana e gera derramamento de sangue e ruína do mundo. O Mestre continua sua exortação clamando para que esforços sejam feitos visando a construção de um novo mundo:  “Servos da raça humana que sois, esforçai-vos de todo coração por livrá-la dessa treva e desses preconceitos que pertencem à condição humana e ao mundo da natureza, para que a humanidade possa ingressar na luz do mundo de Deus.”


Como bahá´is somos chamados à trabalhar para a promoção de um mundo melhor, com bases sólidas nos princípios orientadores da Revelação de Bahá´u´lláh e é nosso dever cuidar das necessidades da era em que vivemos. Como uma forma de transformar o dever em ação, a Casa Universal de Justiça nos convoca a mantermos nossos esforços centrados nas diretrizes do Plano, comprometidos com o empreendimento global e espiritual que servirá como um remédio para os males de uma sociedade desordenada.


Tal como orientado por Shoghi Effendi, os bahá'ís devem “abster de se associar, seja por palavra ou por ação, às ocupações políticas de suas respectivas nações, com os procedimentos de seus governos e os esquemas e programas de facções e partidos”. Eles devem “erguer-se acima de todo particularismo e partidarismo, acima das disputas vãs, dos cálculos mesquinhos, das paixões transitórias que agitam a face e engajam a atenção de um mundo em mudança.” Este princípio, que exige rigorosa esquiva de qualquer tipo de atividade política partidária, deve ser escrupulosamente respeitado.


Naturalmente que os indivíduos bahá’ís de qualquer país, em princípio estão livres para participar de manifestações, esforços e atividades como, por exemplo, em passeatas pacíficas, que tenham por objetivo promover objetivos louváveis como o avanço da mulher, a promoção da justiça social, a proteção do meio-ambiente, a eliminação de todas as formas de discriminação, e a salvaguarda de direitos humanos. Entretanto, caso tais atividades comecem a se desviar de seu propósito original e assumam caráter partidário ou degenerem em violência, elas devem ser evitadas.


Dessa forma, como construtores de uma civilização global, a Assembleia Espiritual Nacional dos Bahá´is do Brasil convida  cada crente a refletir sobre como tem se posicionado diante do cenário político atual e como um tal posicionamento pode ganhar dimensões não imaginadas ou esperadas, vindo a gerar possíveis interpretações errôneas e, mesmo a manchar o bom nome da Causa.  





Início