home > Notícias

Notícias

Portal do Ministério Público da Bahia destaca a Fé Bahá'í

13/9/2013 11:50:51

Na disputada plateia da ativista africana Leymah Gbowee, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 2011, estarão 40 mulheres educadoras para os direitos humanos, que são integrantes da Associação de Moradores Santa Luzia. A participação destas educadoras na conferência que a ativista africana fará hoje, dia 10, às 20h30, no Teatro Castro Alves, dentro da programação do evento educacional e cultural ‘Fronteiras do Pensamento 2013’, será possível graças à articulação do Núcleo de Defesa e Proteção de Direitos Humanos e Articulação com Movimentos Sociais do Ministério Público estadual (Nudh) junto à Comunidade Bahá’í de Salvador. A ativista Leymah Gbowee ganhou o Nobel da Paz juntamente com a sua compatriota e atual presidente da Libéria, Ellen Johnson-Sirleaef, e da jornalista iemenita Tawakkul Karman. Líder do movimento que ajudou a derrubar o presidente Charles Taylor e acabou com a segunda guerra civil da Libéria, Leymah ficou conhecida mundialmente por seu trabalho de recuperação com crianças que foram soldados durante a guerra. Neste período, ela se especializou em enfermagem e trabalhou na recuperação de soldados mutilados. Após o conflito, formou-se em Psicologia Pós-Trauma, nos Estados Unidos, para ajudar mulheres violentadas. 

A Comunidade Baha'i é uma religião mundial que luta pela preservação da paz, pela promoção dos direitos humanos e pela igualdade entre homens e mulheres, que vem atuando em todo o mundo, e particularmente na Bahia pelo reconhecimento do papel da mulher na construção da paz. Foi nesse sentido, explica a coordenadora do Nudh, promotora de Justiça Márcia Virgens, que a entidade facilitou o acesso dessas mulheres soteropolitanas ao evento, que, talvez, não tivessem a oportunidade de participar e conhecer uma história tão inspiradora para homens e mulheres.

 

(Matéria original no Portal do Ministério Público da Bahia )


Início